quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

O AMOR QUE A VIDA TRAZ


"...Aí a vida bate a sua porta e entrega um amor que não tem nada a ver com o que você queria. Será que se enganou de endereço? Não. Está tudo certinho, confira o protocolo. Esse é o amor que lhe cabe. É seu. Se não gostar, pode colocar no lixo, pode passar adiante, faça o que quiser. A entrega está feita, assine aqui, adeus.
E agora está você aí, com esse amor que não estava nos planos. Um amor que não é a sua cara, que não lembra em nada o amor solicitado. E, por isso mesmo, um amor que deixa você em pânico e em êxtase. Tudo diferente do que você um dia supôs, um amor que te perturba e te exige, que não aceita as regras que você estipulou. Um amor que cada manhã faz você pensar que de hoje não passa, mas a noite chega e esse amor perdura, um amor movido por discussões que você não esperava enfrentar e por beijos para os quais nem imaginava ter tanto fôlego. Um amor errado como aqueles que dizem que devemos aproveitar enquanto não encontramos o certo, e o certo era aquele outro que você havia encomendado, mas a vida, que é péssima em atender pedidos, lhe trouxe esse e conforme-se, saboreie esse presente, esse suspense, esse nonsense, esse amor que você desconfia que nem lhe pertence".

[Martha Medeiros]




Quer navegar na Internet sem medo? Instale grátis o Internet Explorer 8.

Um comentário:

Roberto A Alcantara disse...

Concordo em gênero, número e grau. E o pior de tudo isso é a busca que fazemos e não há necessidade porque a vida é assim. Não tem parâmetros, não se controla e apenas está aqui....pra ser vivida!
Só podemos aceitar ou não o que nos é dado mas controlar....jamais!!!!
E o amor então....nussss....esse ser errante que não nos deixa com domínio algum e vem assim mesmo: Sem avisar, sem protocolo, sem explicação....apenas surge e pronto!